É muito comum pessoas que procuram tratamento para o ronco principalmente por se tratar de um problema social importante, onde atrapalha a vida conjugal e com familiares ou amigos em geral, visto que o paciente que ronca interfere diretamente no sono daqueles que estão ao seu lado.

Mas quando falamos em ronco, também precisamos conversar sobre Apnéia do sono. São duas coisas distintas, que em alguns casos podem até ter o mesmo tipo de tratamento, mas são completamente diferentes quanto a consequência que cada um sabidamente pode trazer.

O diagnóstico entre as duas é feito através de um exame chamado polissonografia. Neste exame a pessoa recebe uma monitoração durante uma noite completa de sono e então há o diagnóstico.

Se o diagnóstico for para ronco (chamado ronco primário), essa pessoa estará fazendo um tratamento para o problema social que o ronco pode gerar, embora atualmente haja estudos que sugerem relação com outras possíveis consequências. Se o diagnóstico for Apnéia Obstrutiva do Sono, existem 3° para sua classificação que abordaremos no próximo post. Mas neste caso existem diversos tratamentos, e o ronco não é o principal problema mas sim as consequências que podem estar associadas.

Os tratamentos atualmente existentes são: medidas comportamentais, emagrecimento ou mudança de posição durante o sono a depender da correlação que apresente com os dados polissonograficos, cirurgias de região faringea (indicação feita pelo otorrinolaringologista), fonoaudiologia, aparelhos intra-orais (AIO) e CPAP. Para maiores informações e detalhes sobre os tipos de tratamento veja o post sobre tratamentos de ronco Apnéia do Sono.

Ana Laura P. Ranieri Cunha
Cirurgiã-dentista/ Hospital das Clinicas FMRP
DTM e Dor Orofacial
Odontologia do Sono
Ortodontia e Invisalign doctor

.